Eslováquia

Bratislava ESLOVÁQUIA (2)

Enquanto a República Tcheca herdou os cofres (e atualmente os euros de milhares de turistas) quando da dissolução da antiga federação, em 1993, a “meia-irmã”Eslováquia ficou, aparentemente, relegada a um papel secundário. Nada diferente dos séculos de história onde as regiões da Bavária e Morávia, do lado tcheco, tomavam para si os bastiões político, cultural e econômico do país. Todavia, algumas separações fazem bem a algumas relações e a Eslováquia é exemplo que confirma a tese. Seguidos anos de crescimento econômico levaram o país a entrar na zona do euro, em 2004.

As quatro décadas de domínio comunista ainda são visíveis nos grandes blocos de apartamentos na periferia de Bratislava. Mas o remodelado centro antigo da capital, um interior que ainda preserva tradições medievais e alguns dos mais interessantes castelos da Europa, sem contar os estonteantes Montes Tatras, na fronteira com a Polônia, elevaram o status da Eslováquia recentemente. O baby-boom do pós-II Guerra, repetido na época da dissolução da Tchecoslováquia, encheu o país de uma geração nova e enérgica, representada especialmente em Bratislava. A fama de cidade boêmia atravessou fronteiras e não é raro encontrar jovens de outras capitais européias que aproveitam as passagens das companhias low-cost para um fim-de-semana de pura diversão.

A maioria das pessoas conhece o país somente por Bratislava, que fica a apenas uma hora de Viena, na Áustria, um simples e conveniente bate-e-volta. Contudo, um passeio pelo circuito de castelos do interior e, principalmente, pelos Montes Tatras, são viagens espetaculares que valem muito a pena. E o melhor: como o país continua razoavelmente inexplorado pela indústria do turismo, há muito o que ser explorado.

Apesar de ser ótima para ser visitada durante boa parte do ano, é entre o fim da primavera, o verão e boa parte do outono que o país recebe muitos turistas, que passam por suas paisagens campestres, praticam esportes ao ar-livre, como trekking, escalada e rafting e vêm pescar em seus belos regatos. No inverno, a febre do hóquei do gelo toma conta do país, com uma liga muito disputada.

COMO CHEGAR

Bratislava é o principal porto de entrada da Eslováquia, seja por terra, rio ou ar. Para quem já está na Europa, vale a pena chegar de trem via Viena (1 hora de viagem) e Budapeste (3 horas). O aeroporto internacional de Bratislava (www.airportbratislava.sk) recebe voos de várias cidades, principalmente europeias, sendo muito utilizada pela Ryan Air.

COMO CIRCULAR

Uma das formas mais convenientes de conhecer a Eslováqui é através dos serviços de trem da companhia nacional ZSR (Zeleznice Slovenskje Republiky, www.zsr.sk). Pelo site é possível checar não só itinerários e horários dentro do país, mas também para destinos nos países vizinhos, como Áustria, Polônia, Eslovênia eHungria.

Se preferir alugar um carro, a Eslováquia conta com estradas bem mantidas, com sinalização universal europeia, o que torna a navegação muito simples. A cobertura dos aparelhos de GPS é um pouco deficiente em algumas cidades (por conta das frequentes e intensivas obras viárias implementadas nos últimos anos), mas resolve bem na cobertura de trechos entre cidades.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s