Bulgária

Apesar da influência turca, que deixou raízes em cinco séculos de dominação, o país das rosas, como é conhecida a Bulgária, encontra-se vinculado à Rússia e aos demais países da Europa Oriental por laços históricos e culturais.

IMG_7620

Bulgária situa-se na Península Balcânica, onde ocupa 110.912 km2 de superfície. Limitada a norte pela Roménia, a leste pelo Mar Negro, a sul pela Turquia e pela Grécia e a oeste pela Macedónia e pela Sérvia, tem a belíssima cidade de Sófia como sua capital e maior centro comercial e industrial do país. A 1 de Janeiro de 2007, a Bulgária passa a integrar a UE.
O sudoeste da Bulgária é montanhoso e contém o ponto mais elevado da Península Balcânica, o Musala, com 2.925 m. O rio principal da Bulgária é o rio Danúbio, a norte. Outros rios importantes são o Struma e o Marica no sul do país. O clima búlgaro é temperado, com Invernos frios e húmidos e verões mediterrânicos, quentes e secos.
A história da Bulgária remonta à pré-história. A região foi conquistada pelos macedónios, passando depois para o domínio dos romanos, godos e mais tarde dos búlgaros, uma tribo eslava (681). O reino da Bulgária acabou por ser conquistado pelos bizantinos. No século XIV foi a vez dos turcos dominarem toda a região, o que fizeram até ao final século XIX. Durante esses quase cinco séculos, a Bulgária submetida a um sistema feudal por parte do império otomano (império turco), não passou pelas transformações que se produziram na Europa Central e Ocidental. Apoiados pelos russos, em 1870, os búlgaros vêem reconhecido pelo Tratado de Berlim o direito a terem um Estado independente, embora vassalo do sultão da Turquia.
A independência definitiva só chega em 1908, quando o príncipe Fernando de Sajonia-Coburgo foi eleito rei e reconhecido por várias potências europeias. Nos anos de 1912 e 1913, a Bulgária aliada à Servia, Grécia e a Montenegro, declara guerra à Turquia, desencadeando-se assim a primeira guerra balcânica. Embora tenha saído vencedora, a verdade é que a guerra não terminara. A Bulgária entra de novo em guerra, agora contra os seus aliados, acabando por ser submetida pela Turquia e pela Roménia, perdendo então os territórios anteriormente conquistados (Agosto de 1913). Em 1915, entra na Primeira Guerra Mundial ao lado do Império Austro-húngaro e da Alemanha, terminando também derrotada em 1918.
Os anos 20 e 30 do século XX são marcados por contínuos conflitos sociais e políticos. Invadida pela Rússia, em 1944, rompe a aliança com os alemães. A monarquia é abolida, sendo instituída uma República Popular pró-soviética (1946), num violento processo que culmina com a morte de mais de 17 mil pessoas. A Bulgária torna-se então num estado totalmente submetido a Moscovo.
Após a queda do Muro de Berlim (1989), a Bulgária inicia um rápido processo de democratização. Em 1991, a Assembleia Nacional búlgara corroborou uma constituição democrática, planeando aderir à União Europeia em 2007.
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a Bulgária adoptou um sistema socialista de economia estatizada, baseada no modelo soviético. O que conduziu a uma colectivização agrária e a um desenvolvimento acelerado da industria pesada. O pais deixou de ser subdesenvolvido. Mas apesar dos aumentos de produção, o crescimento económico cedeu a partir da década de 1960, como nos demais países socialistas. Após 1989, a economia da Bulgária contraiu-se então consideravelmente devido à decadência da União Soviética e, consequentemente, à diminuição do acesso ao mercado soviético. Durante a Guerra Fria, a economia búlgara ficou bastante dependente da URSS. O padrão de vida dos búlgaros caiu 40% somente em 1990, atingindo só a estabilidade em Junho de 2004.
Actualmente, a agricultura búlgara atingiu um grau considerável de mecanização. As principais culturas são o trigo, a cevada, o milho, forragens, algodão, tabaco, hortaliças e frutas. É tradição búlgara o cultivo industrial de roseiras, utilizando-se as rosas para diversos fins, que vão desde o fabrico de doces até à extracção de essências para perfumes. A criação de gado, sobretudo ovino e suíno, reveste-se de uma grande importância económica, e a exploração das grandes áreas florestais das zonas montanhosas é intensa. Já a pesca fluvial e marítima não está muito desenvolvida.
Na costa norte do Mar Negro são extraídos o petróleo e o gás natural. Também o ferro, o cobre, o zinco e outros metais são explorados em quantidades expressivas. As transacções com o exterior diversificaram-se bastante após a extinção do bloco socialista: o comércio com o Ocidente intensificou-se e desenvolveu-se um importante sector turístico, baseado sobretudo nos balneários do Mar Negro e nos desportos de Inverno. Contudo, o governo enfrenta ainda elevadas taxas de desemprego e baixos padrões de vida.
Apesar do seu lento desenvolvimento económico, a Bulgária possui um sistema educacional de relativa eficácia. Cerca de 85% da população do país é búlgara, existindo uma importante minoria turca (8%) e grupos macedónicos, judeus, ciganos, arménios, gregos e romenos. A língua oficial é o búlgaro e a religião tradicional é a cristã ortodoxa, existindo também uma minoria muçulmana.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s